Como uma organização fiscal consolidada impacta positivamente a gestão empresarial?

Como uma organização fiscal consolidada impacta positivamente a gestão empresarial?

Por

Dr. Roberto Cardone

Com uma série de práticas favoráveis à estabilidade fiscal, os gestores poderão usufruir de benefícios importantes sobre o cotidiano operacional de suas empresas 

Qual o primeiro passo para superarmos os obstáculos de um ambiente tributário tão complexo quanto o brasileiro?

Apenas para termos uma perspectiva deste contexto desafiador, de 1988 até 2019, mais seis milhões de normas tributárias foram editadas no país, segundo dados do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). Ademais, de acordo com o estudo Doing Business do Banco Mundial, o Brasil lidera o ranking de burocracia tributária em todo o mundo.

Diante deste contexto, só uma organização fiscal eficiente – capaz de lançar uma perspectiva de análise contínua e estratégica sobre os impostos e obrigações de uma empresa – poderá sustentar o processo de crescimento das organizações no mercado, uma vez que, à medida que as companhias se expandem, o grau de complexidade tributária e de rigor fiscalizatório também avança.

Mas quais os principais passos para estruturar uma organização fiscal eficiente em sua empresa? Logo abaixo, apontei cinco pontos cruciais:

1) Analise o contexto tributário atual de seu negócio

A primeira etapa consiste em analisar o panorama atual de sua estrutura tributária, por meio de uma avaliação detalhada do comportamento fiscal de uma empresa. O objetivo é identificar pontos de melhoria, possíveis oportunidades de aproveitamento de crédito e, até mesmo, um eventual reenquadramento tributário que reduza os custos do negócio.

2) Promova uma cultura de saúde fiscal e financeira

Implementado este primeiro processo de revisão fiscal, é preciso manter-se atento para as atualizações do sistema tributário brasileiro e, sobretudo, manter os processos organizados com foco em saúde fiscal, o que, consequentemente, contribui também para a saúde financeira da companhia.

3) Adote políticas de compliance

Para concretizar o passo anterior, sua empresa precisa adotar políticas claras e rígidas de compliance, visando a manutenção da transparência fiscal do negócio, impostos e entrega de obrigações em dia, além da segurança tributária, que é uma das bases para crescer sem riscos.

4) Padronize processos

Também é indispensável manter os processos da área fiscal padronizados, de modo que a organização seja uma realidade do setor e contribua para ganhos de eficiência, mais agilidade nas rotinas e consequente redução do tempo gasto na entrega de obrigações, cálculo e pagamento de tributos.

5) Busque suporte

Para implementar todas estas etapas sem renunciar ao core business de seu negócio, um dos caminhos envolve a busca pelo outsourcing fiscal. A partir de uma parceria estratégica no plano tributário, você terá o suporte de especialistas de mercado que, apoiados também pela inovação, trarão ainda mais eficiência para os processos da área fiscal. E, tudo isso, sem abrir mão da essência e das atividades centrais de sua empresa.

Os benefícios da organização fiscal 

Para reforçar ainda mais o papel da organização fiscal no dia a dia das empresas, separei um quadro-resumo com os benefícios que ela gera para uma empresa:

  • Redução potencial de custos: uma vez que, a partir da revisão fiscal, poderão ser identificados, inclusive, impostos pagos a mais ou a possibilidade de reenquadramento tributário citada no início;
  • Aproveitamento de créditos e incentivos fiscais: os quais poderão ser utilizados no abatimento de impostos, gerando ainda mais eficiência financeira;
  • Novas oportunidades de negócio e investimento: empresas que adotam práticas de compliance e possuem uma organização fiscal eficiente têm mais potencial de atrair investimentos, oportunidades de parceria e, até mesmo, de participar de processos voluntários e vantajosos de venda, fusão ou aquisição;
  • Planejamento preventivo: por meio de uma visão mais acurada das questões fiscais, a empresa ganhará também previsibilidade financeira e saúde fiscal, uma vez que terá mais controle e entendimento sobre suas saídas de impostos, eventuais possibilidades de aproveitamento de créditos fiscais, entre outros.

Por fim, é importante citar que todo este novo grau de eficiência tem impacto positivo direto para uma gestão empresarial mais ágil, inteligente e que se relaciona de modo direto com as perspectivas do ambiente de negócios contemporâneo. Um ambiente em que as empresas mais competentes buscam unir transparência com eficiência e agilidade com segurança fiscal.

Fonte: Law Innovation 19/07/2021

Adicionar Comentário