Lira promete votar Refis e cobra Senado por não avançar com IR

Lira promete votar Refis e cobra Senado por não avançar com IR

presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que a Câmara seguirá “firme”para aprovar a reforma tributária e o Refis.O deputado deu a garantia em discurso durante encontro promovido ontem pela Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados (Abad), em São Paulo.

“Seguiremos neste caminho, daqueles que acreditam e investem no Brasil. Temos desafios futuros e seguiremos firmes para aprovar a reforma tributária e o Refis”,afirmou. “O Refis todo mundo quer. Então, o que todo mundo quer, geralmente o governo não quer e nós temos que estar ali fazendo sempre a interface”, disse o deputado.

Conforme já publicado pelo Valor, líderes da Câmara dos Deputados preparam uma manobra regimental para terem a palavra final sobre as regras do futuro programa de refinanciamento de dívidas tributárias.

A intenção é que todas as empresas tenham acesso ao mesmo número de parcelas,valor de entrada e desconto nas multas, independentemente da queda de faturamento.

A versão aprovada pelo Senado, de autoria do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco(PSD-MG), e de relatoria do líder do governo, senador Fernando Bezerra (MDB-PE),estabelecia regras e uma graduação: quem perdeu mais faturamento ao longo da crise provocada pela pandemia teria parcelamento e descontos maiores, enquanto quem não teve queda de receita teria condições mais duras para refinanciar suas dívidas tributárias com o governo federal.

O andamento da reforma tributária no Congresso tem sido criticado por Lira, que cobra também mais envolvimento do presidente Jair Bolsonaro e seus auxiliares.

Na semana passada, o presidente da Câmara defendeu nas redes sociais que o Senado analise as mudanças no Imposto de Renda e lembrou que na Câmara a criação do CBS [Contribuição sobre Bens e Serviços] ainda está sendo discutida pelo relator.

Sem se comprometer com datas, ele garantiu que cumprirá o acordo feito com o Senado sobre a tramitação da reforma. “O Senado não votou [a reforma do]Imposto de Renda e o relator anda dizendo que não vai votar”, queixou-se. “Nós temos números estarrecedores:R$ 330 bilhões são distribuídos por ano sem pagar um tostão de dividendo. É justo não enfrentar esse debate como o Senado está fazendo?”, indagou.

FONTE: VALOR –22/11/2021

Adicionar Comentário